Author: .
•2/18/2012
Ola ola todo mundo!
Depois de uma semana e tanto ca estou eu de novo para relatar mais algumas experiências de vida adquiridas aqui do la de ca... Depois de um baita de um susto que levamos, agora podemos contar com mais calma tudo o que aconteceu com Fred nos ultimos dias... pra bom entendedor deu pra ver que ele fez cirurgia do apendice né mais até chegar la vou colocar vocês em dia de alguns detalhes que considero importante para os marinheiros de primeira viagem em utilisar o serviço publico de saude daqui (como até entao éramos).
Não é segredo nenhum que a quantidade de médicos, enfermeiras, e toda a gangue da medicina (atenção, uso o termo gangue no mesmo sentido utilizado aqui, le-se turma, galera...) e a quantidade de gente precisando de cuidados aqui é bem desproporcional... considerando que Trois-Rivieres é uma cidade pequena e escolhida por unanimidade pelas pessoas de terceira idade para pendurar as chuteiras, voces devem imaginar o Deus nos acuda né... enfim vamos aos fatos...
Desde quinta-feira da semana passada Fred começou a sentir fortes dores pélvicas e um desconforto que até então nunca tinha sentido, esperamos um pouco pra ver se ele melhorava e nada, passou a sexta e no sábado a noite a intensidade da dor aumentou e resolvemos ligar para o serviço de saúde 24h (fica a dica, 811 para informações e ajudar a aliviar os postos de espera na urgencia do hospital), a enfermeira que nos atendeu aconselhou passarmos a noite em casa e na manhã seguinte ir direto pra urgencia... assim fizemos, chegando la passamos pela famosa triagem e de 5 niveis de gravidade, Fred foi classificado no quarto, o menos grave, porque o quinto é considerado como não grave (lascou amigo, é melhor voltar pra casa se voce for classificado como P5), enfim daí já imaginávamos uma longa e exaustiva espera, mas fomos bem preparados, levamos livro, lanchinho, filme pra assistir, etc... e depois de 5 horas fomos chamados, ufa! Daí chega um estagiário de medicina, nada contra, eu também já fui estagiária, mas na boa, depois de 5 horas de espera tudo o que voce não espera é ser atendido por um estagiário não é verdade? Enfim, o pobre foi chamar a supervisora dele porque pelos sintomas de Fred ele não conseguiu identificar o que era, daqui alguns minutos, volta ele pra pedir pra irmos pra sala do laboratorio fazer exame de sangue e urina, mais umas horas de espera depois pelo resultado, fomos chamados de novo, exames normais sem alteração... a médica então (ufa apareceu uma médica) muito rápida e direta passou um remédio pra dor e pediu pra ele voltar no outro dia pra fazer uma ultrassom. Voltamos pra casa, frustrados eu não diria mas preocupados com certeza...
No dia seguinte Fred voltou e pra quem achava que ia fazer ultrassom terminou fazendo uma ressonancia magnética... e depois de mais algumas horas de hospital, o médico de plantao lhe falou que havia uma mancha na região da bexiga de 1,3 cm que era exatamente onde ele estava sentindo dor (imagina como a gente ficou quando soube disso) mas que ele não poderia dar um diagnóstico antes de conversar com o o raidologista e cirurgião, mas nenhum estava disponível no momento, então ele pediu pra Fred voltar na quarta de manhã... ai ai enfim, entregamos a Deus, como sempre Ele está no controle de nossas vidas...passamos a terça, dia de Saint Valentin, juntinhos e na quarta de manhã achei por bem acompanhá-lo, avisei no trabalho que ia chegar um pouquinho atrasada e pra la fomos, Fred tava super bem, sem dores e foi até dirigindo.
Chegando la fomos atendidos super rápido e o médico que nos atendeu disse que toda a equipe havia entrado em consenso que era o apendice e que era melhor fazer a cirurgia, graças a Deus estava no inicio da inflamação e não chegou a estrangular, que susto! Como assim cirurgia? Isso mesmo madame, ja vamos providenciar um leito pra ele e ele deve entrar na sala de cirurgia à noite... puts!! Ficamos atordoados mas seguimos e de 12h Fred esperou até 21h30 pra entrar... poxa que demora, saltando muuitos outros detalhes, por volta de 1h da manha e ainda muito sonolento ele foi transferido pra o quarto, ai que alivio ver meu marido de volta! Passei a noite (porque dormir... nada neh) com ele e pela manha o medico veio nos ver e falou que tudo tinha corrido bem e que dependendo dos resultados do exame de sangue ele poderia voltar pra casa a tarde (menos de 24h depois da cirurgia), e assim aconteceu, chegamos em casa por volta de 15h.
Eu nao posso comparar o sistema de saude publico daqui com os hospitais particulares do Brasil, mas se compararmos com o publico de la, vixe, diferença grotesca, descartando a fase da espera, depois que Fred foi atendido, tivemos tratamento de primeira, tanto dos medicos quanto das enfermeiras e auxiliares, tudo novinho, limpo e organizado... ficar doente ninguém gosta, ninguém quer, mas saber que se porventura acontecer você nao vai ser desamparado é um grande consolo.
O que eu acho que é diferente é a nossa perspectiva, estamos maldosamente acostumados a ficar internados em verdadeiros spas no Brasil (falo pelos que tem a graca de poder pagar um plano de saude decente) e estamos acostumados também a fazer dos profissionais de saude psicologos e usa-los pra desabafar nossas magoas e angustias, aqui nao é assim mas também nao acho que seja errado, tem muita gente que cai matando, bota pra lascar no sistema daqui, mas na minha opiniao (agora um pouco mais embasada em experiencia) claro que falta profissionais, mas com os que existem, eles conseguem fazer milagre!
Passado o susto, estamos bem, Fred ganhou atestado por duas semanas mas esta se recuperando bem grazadeus! Agora é repousar e torcer pra nao precisarmos voltar tao cedo (soh pra um dia ter um bebe rsrsrs) no hospital Saint Marie :D
Fiquem bem e saude a todos!!
Luh
This entry was posted on 2/18/2012 and is filed under , , . You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 feed. You can leave a response, or trackback from your own site.

7 comentários:

On 18 de fevereiro de 2012 09:54 , Tania Vianna disse...

Caramba acontece cada coisa com a gente e nas horas menos propícias....
Q bom q ele esta se recuperando rápido.
Abçss,...

 
On 21 de fevereiro de 2012 07:13 , Mung Daal disse...

Olá Luh e Fred,

Foi uma experiência e tanto obrigado por compartilhar, ainda bem que tudo deu certo!

Boas melhoras!

Abraços

Mung Daal

 
On 22 de fevereiro de 2012 06:04 , . disse...

Obrigada Pela visita e pelas palavras positivas minha gente! Grande abraço!

 
On 26 de fevereiro de 2012 08:59 , la vie est belle dans la belle province disse...

que bom que tudo correu bem. Realmente o caminho é muito longo até conseguirmos o atendimento inicial, mas dependendo da gravidade do caso o sistema é realmente eficiente.
Tive 2 experiencias =
1) meu namorido com fortes dores lombares, ele mal respirava. Atendimento no Hotel-Dieu, triagem rapida, em menos de 10min ele viu a enfermeira e ja foi colocado no corredor (falta de leitos, né?). La, fez ultrasson, exames, recebeu morfina, passou a noite ... pedra nos rins como diagnostico, eliminou a pedra pela manha e segue em acompanhamento com o médico de familia.

2) eu. Acordo um dia com uma dor de estomago insuportavel, igualmente com dificuldades respiratorias. Vamos ao Notre-Dame e como as caracteristicas da dor podem ser um indicio de infarte em mulheres, a triagem foi igualmente rapida (menos de 1h) e em 3h ja havia sido liberada, felizmente nao era o coraçao e sim o estomago mesmo, os antiinflamatorios que eu tomava desencadearam uma enorme crise de gastrite. Sai de la com prescriçao de protetor gastrico, mudamos o antiinflamatorio e fiz 1 semana de dieta levinha (leia-se sopinhas e caldinhos).
Nao tenho do que reclamar.
Trabalho no sistema (sou infirmière clinicienne en CLSC) e reconheço que os protocolos sao bem eficientes.
Ir para uma emergencia hospitalar pois esta com unha encravada é realmente pedir para esperar 24h ....

 
On 27 de fevereiro de 2012 15:07 , Luh e Fred disse...

Muito obrigada pela sua contribuiçao e visita aqui no blog!! Muito rico! Acho que cada um tem sua maneira de enxergar as coisas, seja o copo metade cheio ou metade vazio... sempre vao existir os dois lados da moeda mas nao ha nada que pague o valor de uma opiniao enbasada na experiencia...
Boa semana!
Luhana

 
On 25 de março de 2012 04:55 , Anônimo disse...

Oi Luana, que bom que deu tudo certo. Apendicite é uma dor insuportável e se não faz a cirurgia a tempo pode morrer.
Só para você comparar a Renata minha esposa também teve apendicite em Janeiro deste ano, e passou 2 dias indo no hospital São Luiz classificado como bom hospital em SP, e eles classificavam como pedra na vesícula. No terceiro dia não aguentando de dor paramos num hospital pequeno mas particular em Osasco, o atendimento foi de imediato, mas também demoraram mais 2 dias para identificar que era apendicite. Devido a gravidez, tornou-se tudo mais difícil.
Ou seja, não importa se é o sistema é publico ou privado, se o hospital é grande e famoso ou pequeno. O importante mesmo é a experiência e conhecimento dos médicos.
A única coisa ruim no Canada é realmente este longo período de espera.
Abraços e tudo de bom.
Renato Coelho

 
On 25 de março de 2012 10:40 , Luhana disse...

Ola Renato!
Obrigada pela contribuiçao aqui no blog... pois é com saude nao se brinca!
Grazadeus tudo terminou bem e ele ta novinho em folha!! Grande abraço!